sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Ainda os 100 anos

Parece que anda aí pela imprensa uma azáfama enorme para ver quem é a região demarcada mais antiga.

Naturalmente, é uma "corridinha" que não nos interessa.

Mas vale a pena um par de reflexões.

Em primeiro lugar, ler a Carta de Lei de 18 de Setembro de 1908 em que D Manuel II, o nosso 36º e último rei demarcou várias regiões. Clique aqui para abrir o ficheiro. É um texto delicioso, certamente a primeira lei quadro das regiões demarcadas Portuguesas ! Demarcou os Verdes, o Dão, Colares, Carcavelos e estabeleceu várias regras de produção. E quanto à nossa região, repare nos concelhos que inclui: Ovar, Estarreja e os três concelhos do "Vinho Verde de Lafões".

Depois uma reflexão sobre a questão do preço. O ambiente económico no início do séc. XX não era de abertura e livre trânsito como hoje. A demarcação correspondeu a um pedido de cada uma destas regiões porque o preço dos respectivos vinhos era demasiado baixo pela entrada de vinho de fora. Queriam pois demarcar para limitar o comércio inter-regional. Não esqueça que, durante décadas, havia limites legais ao trânsito dos vinhos em Portugal. Por exemplo, no tempo do Marquês, as tabernas do Porto estavam entregues em 85% aos vinhos da Real Companhia e só os restantes vendiam os nossos vinhos. E a CVRVV cobrou, até os anos 70, taxas sobre vinhos de mesa que eram vendidos nos "4 concelhos": Porto-Gaia-Maia-Matosinhos". Sobre estas histórias do vinho, é leitura muito interessante o livro "A Vinha e o vinho no século XX" do Professor Orlando Simões, editado pela Celta.

Sem comentários: