domingo, 21 de setembro de 2008

Vendas e stock a 31 de Agosto

( clique na imagem para aumentar )

Estão fechados os números de Agosto. Começamos pelos stocks ( imagem em cima ). O valor é o mais baixo dos último três anos . Realmente é o mais baixo, à, boca da vindima, da última década.

Algumas observações caso esteja a ler estes quadros pela primeira vez:
  • estes dados são obtidos pela soma dos saldos existentes nas respectivas contas correntes;
  • a categoria "adegas" não inclui todas as cooperativas, uma vez que algumas estão registadas como armazenistas, pelo que aparecem na categoria respectiva;
  • não esqueça que o vinho existente nos produtores individuais é também a soma das respectivas contas correntes, pelo que o stock de 2M litros significa que haverá 200 litros aqui, mais 300 ali...

( clique na imagem para aumentar )

As vendas também não nos enchem de alegria. No Verde banco estamos a perder 11% fazer ao ano passado. Já não descíamos há muitos anos. Há aqui dois efeitos conjuntos: a saída de algumas marcas baixo de gama que passaram a vender os seus vinhos como "mesa" e, naturalmente o efeito da crise nacional e externa ( inc o problema cambial com o dolar ). Sabemos pela Nielsen ( ver artigo anterior ) que em Portugal estamos a ganhar quota de mercado, pelo que as outras regiões não podem estar a ter dias fáceis.

O Verde tinto continua a surpreender mês após mês. Já vamos com um aumento de 13%. Após anos a perder mercado, em 2008 a tendência inverte-se e estamos a crescer 13%. E o aumento é no segmento de garrafa 0,75.

Quanto aos restantes produtos, a descida no regional é fácil de entender: os engarrafadores responderam ao baixo stock classificando o seu vinho como VV em alternativa a o desclassificarem para regional. E o espumante continua o seu percurso. São ainda poucos os produtores, pelo que cada negócio influencia os números gerais.

Sem comentários: