quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Sobre a fiscalização da vindima...

A vindima aproxima-se do fim. E com ela o stress da entrega ou da compra das uvas. Os preços e os stocks.

Na CVRVV esta época é sempre de grande azáfama. A fiscalização está em pleno na região e em simultâneo preparamos a recepção das DCP's. Como é habitual, é um periodo de grande interacção com os produtores, empresários e dirigentes. Muitos telefonemas, muitas reuniões.

Aqui fica pois o apontamento de algumas preocupações que nos foram chegando:

  • que volume teve a vindima ? só a 15 de Novembro conheceremos com rigor os dados provenientes da entrega das DCP's. Até lá, a impressão de cada um vale o que vale. A minha é baseada nas inúmeras opiniões que recolhi: a vindima é inferior à de 2007;
  • as brigadas vão continuar a registar a entrega de uvas até ao fim da vindima ? sim, vão. No final desta acção teremos um mapa com as entradas de uvas em cada adega e armazenista, mapa este que será confrontado com a respectiva DCP. Assim se assegura que o vinho produzido por cada entidade corresponde a uvas efectivamente recebidas. É um trabalho pesado mas que indiscutivelmente valoriza a viticultura e reforça a garantia de origem da nossa região. Esta medida é única no país e inspirada no que faz a Rioja. Reunimos com os nossos colegas daquela região há alguns meses e estudamos o sistema deles. Na Rioja, há um "vedor" ( é a expressão deles ) que trabalha para a região e está presente na entrada de cada vinificador e adega ao longo da vindima. Anota todas as entregas, tipo de produto e identificação - a Rioja contrata mais de 100 vedores/ano por um mês ! ( que orçamento !) ; a meu ver é um sistema e ficaz.
  • têm ocorrido apreensões ou a detecção de situações violadoras da lei ? Resporta afirmativa - sim - a tudo. Já foram elaborados vários autos que darão origem a processos disciplinares e/ou a participações ao Ministério Público ou à ASAE;
  • porque é que a CVRVV não divulga os resultados da fiscalização ? o plano de fiscalização da vindima está a ser executado de acordo com um programa detalhado que foi aprovado pelo Conselho Geral e é a este que apresentaremos o relatório em primeiro lugar. Por outro lado, é nossa experiência que divulgar "operações espectáculo" acaba por ter os efeitos contrários. Suponha que fazemos uma acção para detectar uma infracção e efectivamente conseguimos apreender uma grande quantidade de produto e identificar os responsáveis. Para si e para nós, trata-se de um sucesso da fiscalização; porém no dia seguinte o título dos jornais será "Mixórdia no Vinho Verde"; será pois apresentado um relatório final, muito detalhado, ao Conselho Geral, do qual retiraremos uma versão resumo para divulgação à região;
Duas últimas palavras:

O aumento do preço da uva e do vinho são o testemunho mais vivo de que a nossa região dispõe de um sistema de controlo que funciona. E acredite caro leitor que os telefonemas de protesto - pelo excesso de controle - que recebemos são a prova cabal que estamos no caminho certo.

Nos próximos meses teremos uma batalha muito mais dura. Havendo menos vinho, os preços já aumentaram. E teremos de lutar num mercado recessivo. Para quem acha que a vindima é um problema, respire fundo: a batalha mais séria vem aí !


Sem comentários: