quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Uma semana na estrada: primeiro balanço

Tem sido uma semana ímpar e tenho muito entusiasmo em participar nesta acção. Num esforço conjunto da DRAPN, da CVRVV e de mais de uma dezena de associações, cooperativas e caixas de crédito, fizemos uma média de 2 acções de formação/dia sobre o Vitis.

Em cada acção, uma média de 50 a 70 produtores e, motivo de satisfação, em todos os locais tivemos a confirmação de que se preparam projectos conjuntos com áreas superiores a 25 hectares e que beneficiam dos incentivos à união de produtores: uma majoração de 10% nas ajudas e uma extensão do prazo de plantio e enxertia.

Em todos os locais, muito debate e dúvidas. Pedidos de esclarecimento sobre o projecto, bastantes. Claro que muitas das questões relacionam-se com a opção de investir na vinha: vale a pena investir ? Testemunho um mau estar generalizado pelo mau pagamento que as uvas tiveram durante quase uma década.

E porém, que admirável energia têm mais de um milhar de produtores que ao longo da semana se dirigiram às acções de formação. Produtores de todas as idades.

Um pouco por todo o lado, pequenos problemas sobre legalização de vinhas. Uma dor de cabeça.

Alguns apontamentos mais ligeiros:

  • em Ponte de Lima, a primeira acção, encontramos uma sala cheia. Mais de 100 produtores;
  • em Ponte da Barca já havia uma lista de interessados feita pela Adega ( parabéns ! ). curiosamente a sessão decorreu numa escola. Já não me lembrava de estar num edifício em que toca uma campainha a cada hora. Como os anos passam...
  • em Amarante, gente até à porta e muitas perguntas; e uma fila de tractores a entregar uvas à porta !
  • na Aveleda um caso excelente - uma empresa comercial assume-se como dinamizadora da produção e prepara um projecto de reconversão seu e dos viticultores que a ela que queriam juntar:
  • em Guimarães, mais uma sala cheia e um debate quente ( apesar de um frio polar ! ). A sessão terminou com uma prova de vinhos e produtos regionais. Que luxo! A adega anunciou que tratará da elaboração das candidaturas e do fornecimento do material vegetativo, com um parceiro externo;
  • em Braga, num edifício lindo do séc, 18, uma boa reunião, curiosamente com bastantes questões sobre a rentabilidade da vinha. E pela primeira vez falou-se sobre a flavescência dourada - vários produtores terão de arrancar toda a vinha;
  • em Amares, uma reunião surpreendente. Um vitis com mais de 30 hectares já garantido, uma sala cheia e compareceu o vice presidente da Cavagri a cativar os produtores para que entreguem lá as uvas. A adega tem as contas com os sócios em dia ! E mais uma vez se falou da flavescência com preocupação;
  • em Barcelos, uma direcção da adega com energia e inicativa mas uma plateia menos entusiasta. Há trabalho a fazer ! Um produtor anunciou que vai plantar Alvarinho ( algo que ouvimos em vários locais );
  • em Vale de Cambra, uma sala cheia ( foto ). Produtores muito pequenos. Aqui o limite mínimo de 3000 metros é um problema, são pequenos produtores.
E ainda faltam mais algumas acções:

Amanha, sexta-feira pelas 09:30 em Monção e pelas 14:30 em Felgueiras com a presença do Secretário de Estado Luís Vieira.

Na próxima semana, dia 5 às 10:00 na Coop. Agrícola de Paredes, às 14:30 na Frutivinhos e às 18:00 na Sogrape-Quinta de Azevedo.

Quem me conhece sabe quanto evito viagens, reuniões e almoços. Uma semana inteira na estrada é mesmo uma excepção ! Porém este caso é verdadeiramente excepcional. É essencial que a região reconverta a vinha e ninguém se pode furtar a este esforço. Os apoios, que podem chegar aos 12.650 euros/hectare são excelentes e nada garante que se mantenham no futuro.

Colabore também e incentive os produtores a reconverter a vinha. Até 28 de Novembro !

Fotos: produtores em Vale de Cambra e novas vinhas na Aveleda.


Sem comentários: