quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Vinhos, preços e crise

Mais do que a crise que a todos assusta, o que preocupa é a total incerteza. Quando o responsável máximo do Banco de Portugal nos diz que, se fizesse hoje as previsões que fez há quinze dias, os resultados seriam diferentes, então sabemos que nada sabemos !

Parece certo que a inflação vai baixar muito, para próximo do 1% e o PIB se irá retrair em mais de 1%. Diz-se que o consumo privado não irá decrescer pois o aumento dos vencimentos será superior ao da inflação. Sinceramente vejo com apreensão esta "previsão" pois o desemprego irá aumentar e as famílias estão a retrair-se nas despesas, fruto da falta de confiança no futuro. Talvez ( aí sim ) este argumento valha para Lisboa, onde a % de funcionários públicos no total da população é elevada e sabemos que estes serão aumentados em 2,9%.

No meio deste clima, estamos a iniciar uma acção de controle dos vinhos no ponto de venda com especial ênfase sobe os mais baratos. Sabemos que não estamos em ano de aumento de preços. E porém como justificar que estando o granel ao preço a que sabemos, apareçam vinhos à venda PVP a menos de 1 euro ?

Gostaria de clarificar alguns pontos.

Em primeiro lugar, que o preço de venda é livre. Nem por meios directos nem indirectos devemos interferir no mecanismo de estabelecimento dos preços. Nem a lei o permite, nem o deveríamos fazer se permitisse.

Em segundo lugar que é um erro os produtores configurarem a CVRVV como uma entidade que deve interferir nos preços. A actividade de controle da CVRVV deve procurar assegurar a legalidade e assegurar que, a qualquer preço que seja vendido, o Vinho Verde apresenta sempre as características de qualidade e personalidade que o distinguem.

Em terceiro, que não é de todo verdade a ideia que ouvimos muitas vezes segundo a qual o vinho mais barato é necessariamente suportado por alguma fraude sobre o produto. Compre algumas garrafas do vinho mais barato que há no mercado e verá que encontra um pouco de tudo. Desde vinho de qualidade muito limitada, ate bons vinhos que simplesmente são vendidos a preço baixo fruto de necessidades de tesouraria ou outras que obrigam o produtor a vender em condições que claramente não lhe geram rentabilidade.

O que estamos então a fazer ? a comprar todos os vinhos que se apresentam ao cliente ao preço de 1,20 € ou inferior em garrafa 0,75 cl. Os vinhos comprados são analisados, bem com as respectivas rotulagens. E as empresas produtoras são posteriormente visitadas no sentido de aferir da rastreabilidade do produto através de uma verificação de existências e dos respectivos documentos e registos de suporte. Esta acção incide sobretudo sobre os pontos de venda dentro da região onde normalmente encontramos vinhos a preços mais baixos.

Já agora, se quiser saber os preços dos colegas no Continente, clique aqui.

Sem comentários: