quinta-feira, 9 de julho de 2009

Stocks e vendas em 30 de Junho

Mais um mês de stocks. À medida que nos aproximamos da vindima, começamos a ter uma ideia que a colheita não irá diferir muito da do ano passado. A previsão de colheitas ainda demorará mais um par de semanas a ser publicada. O stock encontra-se praticamente aos níveis de 2008 na mesma data, sendo que o tinto está um pouco abaixo. Porém o stock de tinto é superior ao branco na percentagem das respectivas vendas, pelo que não se pode falar num cenário de escassez. Estabilidade talvez seja, genericamente, a apreciação mais correcta.

As vendas mantém exactamente as tendências dos meses anteriores, sendo que o branco 0,75 continua a recuperar pouco a pouco e neste momento a perda face a igual período de 2008 é de 1 milhão de litros, ou seja cerca de 5%.

2 comentários:

mario rui disse...

Poderá ser feita esta análise? Temos menos VV, menos Vendas, menos margens, mais concorrência. O sector estará em crise? Será possivel quantificar a área de produção em cada ano para juntar na análise? Como vendas, existencias, área de vinha. Secalhar é querer saber muito? :)

Manuel Pinheiro disse...

Obrigado pelo comentário. Não tenho a pretensão de ter mudado o mundo, mas quando cheguei à comissão, não havia divulgação de nenhuns dados de vendas e stocks porque a CVRVV entendia ao tempo que isso era informação secreta. ou seja, só era conhecida de quem lá estava. Como sabe, a minha visão é diametralmente oposta: a CVRVV deve divulgar o máximo de informação e assim tem feito. Por isso nada é "querer saber muito". A sua questão é bem-vinda.

A área de vinha estava a 31/12 próxima dos 22.000 hectares. Tem vindo a diminuir gradualmente mas não tenho dados para consulta rápida que permitam elaborar um mapa comparando ao longo do tempo.

Sinceramente, não gosto de falar de "crise". Há quem encha a boca com "crise" sobretudo para justificar as suas próprias insuficiências. Se é verdade que estamos a atravessar dias difíceis ( e é verdade sim ), não deixe porém de pensar nisto:
- finalmente o viticultor terá dois anos seguidos em que ganha dinheiro nas uvas - compare o preço da uva no VV com o preço da uva sem benefício no Douro;
- algumas das principais empresas só não vendem mais porque não conseguem encontrar vinhos a preço competitivo ( o granel de Verde branco é o mais caro do país );
- temos duas novas empresas, grandes em outras regiões que estão a produrar parceiros e fornecedores para entrarem na nossa região.

Vamos a ver o que é que o ano nos reserva.