sábado, 17 de abril de 2010

Vinhos Verdes no mercado Americano

O Mark Squires é um jornalista de referência no mundo dos vinhos. Profundamente conhecedor dos vinhos Portugueses e do Vinho Verde, é um jornalista cuja opinião é mundialmente influente, através do Wine Advocate onde escreve. Através do Facebook troco algumas impressões com ele, de que destaco a mais recente que aqui reproduzo:

MS: Some supplemental Greece and Portugal notes will be published with the next Wine Advocate release, end of April. Some nice Vinhos Verdes will be spotlighted. I'm liking this region more and more. In that regard--a nice Moschofilerero in the Greek report provides some competition.

MP: Good news here Mark. We are renovating 1000 hectares of vineyards and, in the next weeks, we'll start an "election-like" campaign going to village after village to encourage more producers to renovate their vines.If we can produce great fruit, our wines will inevitably bring good surprises.

MS: Manuel, Vinho Verde,considering the pricing, is missing a golden opportunity to revive its brand. The marketing needs to be a lot stronger. It is perfect for this economy and summer is coming up. Mont, Moschos can be very fine in a delicate style--and the Boutari indeed will be reported on this April. Their Assyrtiko is pretty nice, too.

Depois curiosamente outras pessoas entraram na conversa. Dois pontos me merecem reflexão nesta conversa.

O primeiro é positivo e simples: é que o Vinho Verde é assunto de conversa. Já lá vai o tempo em que os jornalistas ignoravam a região. Que volta demos ! Hoje quando chegamos aos EUA, ao Canadá e a outros mercados, o Vinho Verde é bem visto, gera buzz. Basta fazer uma breve pesquisa na net e vemos a força do cliente a falar da nossa região.

A segunda é mais difícil "Vinho Verde... is missing a golden opportunity to revive its brand". Não há dúvida que o Vinho Verde está forte, mas precisa de ser alavancado com muita comunicação. É preciso que os nossos exportadores deixem de considerar os EUA como um mercado distante para onde se enviam umas paletes e o trabalhem como se de um mercado interno se tratasse. Estando lá, investindo, apoiando o importador e a distribuição. É que são as marcas - e não a CVRVV - quem realmente vende vinho.

Os dois gráficos que se seguem foram elaborados a partir das estatísticas de exportação do INE, intrastat. O primeiro revela os volumes e valores globais de exportação para os EUA e dispensa comentário.

O segundo refere os valores médios/litro tendo por base os preços mencionados pelo exportador no documento de acompanhamento. Diga-se em abono da verdade que o preço médio não evoluiu muito, situando-se na casa dos 2,0 euros/litro, com excepção de 2000/2001, talvez por efeito da produção escassa que se verificou em 98 e 99.
Se o conhecimento do mercado norte americano o interessa, aqui fica algum trabalho de casa:

  • no marketing da CVRVV ( marketing@vinhoverde.pt ) está depositado o estudo da Wine Intelligence sobre os mercados de exportação de Vinho Verde, à sua disposição; pode ser enviado por correio electrónico;
  • clique aqui para aceder à página do Wine Market Council e consulte cada uma das três opões de dados que tem na esquerda;
  • para conhecer alguns dos Vinhos Verdes à venda nos EUA e respectivos preços, clique aqui, e também aqui, e também aqui. Este último é muito interessante, pois ao seleccionar cada marca, tem acesso às opiniões dos clientes sobre esse vinho.


Sem comentários: