quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

A paciência que precisamos de ter...


Povo inventivo, os nossos amigos brasileiros devem ter ocupado uns bons finais de tarde à beira mar a pensar no assunto. E, de tanto pensar e tanto fumo fazer, saíram-se com uma ideia de mestre: vamos obrigar os vinhos europeus a apresentarem um certificado de origem imprimido na Europa e assinado à mão, para os vinhos poderem entrar no Brasil.

É de facto uma ideia linda, que não impede as exportações, mas que obriga a que cada encomenda siga com uma pastinha onde vai o certificadozinho de origem do vinho assinado à mão. E tem de ser a azul, senão vem tudo para trás.

NOTA A QUEM NEGOCEIA COM O BRASIL EM NOME DA UE: as mangas, a aguardente de cana, a picanha, as t-shirts, os aviõeszinhos da embraer, os músicos e as novelas também deveriam chegar à europa acompanhados por um certificado assinado à mão em azul.

3 comentários:

João Pereira disse...

...isto faz-me lembrar um Portugal num pasado muito recente.... ou melhor... em algumas empresas privadas e instituições publicas, nos dias de hoje, ainda é assim....porque não exportar um simplex para o BRASIL, assim aummentava-mos as exportações.

Genaro disse...

Estou com vergonha, sou brasileiro.
Como se fosse este o tipo de importação que abala a economia mundial.
Teremos um certificado semelhante quanto aos produtos chineses?
Ou vamos esperar a china produzir vinhos europeus para descobrir onde está o problema.

Manuel Pinheiro disse...

Corrijo o meu texto que pode ser mal interpretado. Não tenho qualquer críticas ao Brasil, país que admiro, e ao povo Brasileiro.

O que critico são as políticas de proteccionismo administrativo. Uma vez reuni com um Governador do Norte do Brasil que me explicava que a banana do Brasil não entra na Europa porque nós protegemos as bananas da Madeira e das Canárias. Não sei se é verdade, admito que sim.

deveríamos era ter uma mercado livre e sobretudo transparente. Nos dois sentidos.