quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Vinho: novas regras nos rótulos americanos ?


É curioso como temos todos a tendência para achar que a relva do vizinho é mais verde que a nossa. Não há reunião de "especialistas de marketing de vinhos" na Europa em que não se reclame a aplicação neste continente do sistema dito americano de grande liberdade nas regras de produção e comunicação dos vinhos. Da América diz-se que é o país onde os produtores são livres, produzem sem regras, as empresas são saudáveis e geram muita riqueza.

Obviamente não é assim, nem os americanos quereriam que fosse assim. Um dos movimentos mais curiosos dos Norte Americanos ( e dos restantes países produtores do continente ) tem sido a criação de regiões demarcadas, com as suas regras de produção e comunicação.

A este propósito, chegou-me esta semana alguma documentação muito curiosa. É que o BATF, a agência do governo federal americano responsável pela venda dos vinhos está a preparar legislação para regulamentar a utilização de termos como Estate, Farm e outros que correspondem ao nosso "Quinta". Os americanos fartaram-se de ver garrafas com a expressão "Estate vineyards" quando na prática o vinho era comprado a granel das mais diversas origens e vendido sob essa marca de quinta.

Andam pois os americanos a criar regiões demarcadas e a regrar a rotulagem das marcas de quinta.

O mercado livre não é o mercado da balda. Isso tem um nome, é o caos. O mercado livre é aquele que tem regras claras, transparentes que são para cumprir mas que são tão pouco intromissoras quanto possível.

Sem comentários: