quinta-feira, 17 de março de 2011

Vinho: os tolos e a touriga nacional

Este assunto é um disparate tão evidente que quem não é do negócio do vinho nem o entende, mas enfim, é assim.

Ao invés de promover as marcas portuguesas e as regiões demarcadas portuguesas, os tolos que têm dirigido a promoção dos vinhos portugueses no mundo decidiram que deviam gastar 270.000 euros a promover internacionalmente uma só casta portuguesa, a Touriga Nacional.

A VINIPORTUGAL, entidade que tem por fim a promoção dos vinhos portugueses no mundo, não promove os Vinhos Verdes o Douro ou o Alentejo. Porém, toda ufana organizou um belo congresso para anunciar ao mundo que passaria a promover esta casta. E mais, arranjaram umas malinhas e andam pelo mundo fora a fazer provas e apresentações dos tais vinhos de Touriga Nacional. Isto sem dizerem, é claro, que esta casta só tem um encepamento de aprox. 5% top total nacional, pelo que nunca será capaz de volumes interessantes. E com um ponto até divertido: é que uma das regiões que mais Touriga Nacional mais tem plantada é o Vinho Verde. Sim, o Vinho Verde tinto !

Infelizmente não percebem um princípio simples: só faz sentido alguém promover uma marca sua. Promover a sua marca, a sua região ou o seu país. Pelo contrário, promover uma casta significa investir na promoção de algo que irreversivelmente não é nosso. Como bem o sabem os produtores de Alvarinho, cada vez que Monção e Melgaço investem a promover o nome da casta, o benefício recai sobre todos os que a produzem, estejam eles no Douro ou no Tejo.

E porém os tais especialistas acharam que deviam investir em promover uma casta "portuguesa" no mundo.

Ora aqui está, em cima, o efeito prático mais do que previsível e evidente: um jornalista de referência aconselha o plantio desta casta em Bordéus. E porque não ?

Quando amanhã aparecerem vinhos de outros países com esta casta, que os portugueses se esforçaram em promover, perceberão o disparate.

Há momentos em que percebemos que o problema do nosso país não é a falta de recursos financeiros...

Sem comentários: