quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Vinho Verde - Vendas em Outubro

Dado que a vendas de branco se distinguem tanto das restantes, passo a repartir os mapas. Passaremos pois, a partir deste mês, a analisar separadamente o mapa de branco e o mapa dos restantes segmentos.


Um por cento. Nem mais: um por cento. Contra ventos e marés, contra lamentos e profetas da desgraça, o Vinho Verde fecha o décimo mês do ano com uma descida acumulada de 1 por cento face a igual periodo do ano passado. Um pouco acima até do valor obtido em 2010.

É uma excelente notícia que nos surpreende a todos. Conforme veremos num próximo artigo, é a exportação que suporta este resultado, compensando a descida do mercado nacional. O Vinho Verde branco afirma-se pois como um segmento muitíssimo competitivo, o que nos dá muita confiança nos dias difíceis que vivemos.


As vendas do tinto são uma preocupação. Claramente o consumidor nacional está a afastar-se do Verde tinto. É evidente que estão a aparecer tintos interessantes e até fenómenos de exportação, como o indicado num artigo anterior, mas são volumes sem significado estatístico. Há um problema de fundo com as características do tinto e a sua adaptação ao gosto do cliente actual. Ou porventura da sua ligação com a gastronomia de hoje. ( estamos a fazer um trabalho de fundo quanto a este assunto, que oportunamente referirei ).

O rosado mantém a tendência de sempre. É pouco mas cresce. Todos os meses, todos os anos cresce um pouco mais.

Finalmente o regional, que aumenta as suas vendas em 400.000 litros. Fui estudar os mapas em detalhe. Este aumento está repartido em partes iguais pelo branco e tinto. Dentro de cada cor, o que cresce é o segmento do "não acondicionado" em detrimento dos engarrafados que decrescem. O que aumenta é pois o vinho que é vendido dentro da região, muito dele na restauração regional.

Sem comentários: