quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Vinhos e sindicatos

O sector dos vinhos não é, manifestamente um dos que mais se pode queixar da conjuntura actual. Sofre, como todos os demais, da recessão interna e da redução do mercado de crédito bancário. Sofre ainda dos fundamentalistas anti-vinho, sempre sôfregos para encontrar mais alguma leizinha que dificulte o consumo. E porém entramos em 2012 com a mesma carga fiscal. Somos um sector exportador e estamos a exportar mais do que nunca.

É certo que os dias não são fáceis para ninguém.

É neste contexto que li hoje a proposta de um dos sindicatos mais representativos do sector para a renovação das tabelas salariais para 2012: propõe aumentos de 5%. Eu confesso que li e reli, li até a fundamentação que tem várias páginas.

Li e, sinceramente, não entendo. Vejo situações brutais de empobrecimento do país e os sindicados estão calados. Vejo situação de manifesta exploração de mão de obra e, nada. Mas passa pela cabeça de alguém que num ano destes em que o desemprego é tremendo, se venham pedir aumentos destes ?

Se há mil coisas a mudar urgentemente neste país ( há certamente ), a orientação sindical é claramente uma destas.

Sem comentários: