quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Ministra da Agricultura e as Cooperativas


O cavalheiro da foto acima é o Presidente da Adega Cooperativa de Vale de Cambra. Recebe a Ministra da Agricultura em visita à adega.

Espero que um dia alguém faça um estudo detalhado dos apoios que o Estado e a UE deram ao vinho e a forma como forma aplicados. Um bom ponto de partida era comparar a Adega Cooperativa de Vale de Cambra com a sua vizinha de Castelo de Paiva.

Nenhum dos dois concelhos é um local fácil para trabalhar o vinho. Vale de Cambra tem optimas condições para a produção de vinhos, mas está muito baseada nos tintos, tem uma micro-estrutura vitícola e o concelho não tem uma cultura da vinha e do vinho ligado ao turismo como teria por exemplo Ponte de Lima. Vale de Cambra tem uma economia forte, mas muito ligada à industria. Castelo de Paiva também não é fácil. Concelho pobre, injustiçado pela falta de acessos rodoviários, viu desaparecer as minas e posteriormente a industria. Fazer e sobretudo promover os vinhos num destes concelhos é sem dúvida remar contra a maré, algo que exige timoneiros de excepção.

Ao longo dos últimos 15 anos, Castelo de Paiva foi uma das adegas cooperativas que recebeu mais apoios públicos em per capita de sócio, de toda a região. Refez as vinhas em quase 200 hectares, investiu-se nas instalações, fizeram-se estudos estratégicos, debates e conferências, projectos de vinho e gastronomia e vinho e turismo, sites internet. Lá fui mais de uma dezena de vezes, de cada uma para uma sessão pública sempre com membros dos sucessivos governos. Disse-me um dia um colega de um serviço público que em Castelo de Paiva de cada vez que se abria um presunto aparecia um Secretário de Estado. Não andava longe da verdade.

Ao longo deste mesmo período, Vale de Cambra não estava na moda. Não se abriam lá presuntos, não havia croquetes. Fui lá algumas vezes, sempre para acções de formação aos produtores. As instalações foram tendo investimentos sobretudo vocacionados para a qualidade na produção dos vinhos.

Agora a Ministra veio à região e foi a Vale de Cambra visitar a Adega. A adega lançou novos vinhos, por sinal excelentes. Tem nova linha de rotulagem que orgulha os vinhos em qualquer mercado. Está inscrita numa união de cooperativas, a Vercoope. E  luta.

Castelo de Paiva esta fechada.

Passamos muitos anos em que o que contava era a gestão espectáculo, os anúncios sempre surpreendentes, os projectos em grande. Olhando para a foto percebemos o resultado. O que realmente conta é uma gestão ambiciosa no projecto mas sempre com os pés na terra.

Importa que o Estado também aprenda, que saiba gerir melhor os dinheiros públicos, que apoie os vencedores. Onde estaria hoje Vale de Cambra se tivesse sido apoiada como outras foram ?

Sem comentários: