terça-feira, 4 de setembro de 2012

Touriga Nacional


A propósito da Touriga, e reflexão útil para o Alvarinho, aqui temos um Touriga Nacional fotografado pelo José Arruda no Brasil.

É um erro estratégico, diria um erro trágico, quando uma região se demite da sua promoção, em favor da assimulação de uma casta como se fosse uma marca sua. As castas são mundiais por definição. Usar uma casta no rótulo pode ser uma fabulosa alavanca comercial mas é preciso ter a cabeça fria e perceber que:
  • a "marca" é o único bem que verdadeiramente pertence ao engarrafador. É na marca pois que deve estar o centro da sua comunicação - o resto, castas e região, são um complemento que acresce valor;
  • a "região" é uma designação que pertence a todos os produtores de uma determinada área. É esta designação que valoriza a ligação única de um vinho a um território.
 Apostar na casta como alavanca central da promoção ( desvalorizando marca e região ) é simplesmente entrar no mercado do preço. Basta conversar dois minutos com os produtores do novo mundo para se perceber isto.

Por isso é que é bom que os vizinhos das Rias Baixas estejam a investir tanto na promoção da casta Albariño nos EUA em detrimento da designação da sua própria região. É que, sendo assim, estão a criar valor para que nós e outros produtores de Alvarinho possamos ir lá e beneficiar desse negócio que eles criaram.

Mas também por isso é que muitos produtores de todo o Portugal acham bem que Monção e Melgaço invistam tanto na promoção da casta Alvarinho, em detrimento das suas marcas e da DO...

Sem comentários: