sexta-feira, 28 de junho de 2013

Vinho e locomotivas


Apresento-lhe um novo Vinho Verde. Já estava disponível no mercado externo e agora chega até nós. É o Pátria.

O Pátria é o resultado de uma parceria entre um belíssimo produtor da nossa região e uma das empresas líderes de vinhos do país, a CARMIM.

A CARMIM não é a única empresa de outras regiões a investir no Vinho Verde. Recentemente a José Maria da Fonseca, João Portugal Ramos, Dirk Niepoort, a Quinta do Portal se associaram à nossa região. E estão em estudo outros projectos muito interessantes.

A entrada da CARMIM no contexto dos Vinhos Verdes tem várias leituras. Felizmente todas positivas. Desde logo é a prova de que a nossa DO tem mais valor para produtores, distribuidores e engarrafadores. É curioso ouvir os produtores da região desapontados sobre a falta de valor da nossa DO e depois constatar que os de fora a valorizam. Claramente a CARMIM não toma decisões amadoras: faz contas, analisa, avalia. 

Em segundo lugar, quebra um mito: é que nada impede que uma cooperativa de outro ponto do país disponha de um Vinho Verde no seu portfolio. Para uma cooperativa no Douro, no Dão ou no Alentejo, dispor de um Verde é um complemento interessante na sua gama. Pode obter estes vinhos em parceria com um produtor da região sem suportar custos fixos.

Em terceiro lugar desafia-nos a nós naquilo que é mais difícil. É que vamos ver o Patria à venda no mercado nacional a preços acima do que muitos produtores da rgeião conseguem. E o valor, a valorização do produto, é claramente o desafio principal que hoje enfrentamos.

Bem-vinda CARMIM, é de locomotivas destas que precisamos !

Sem comentários: