terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Juvenal Peneda

O Vinho Verde deve-lhe muito. A Região Norte também. Tive o gosto de almoçar com ele há poucos meses no exacto dia em que ele, recém motociclista, tinha mandado um valente tombo. Foi tratar-se e almoçamos numa deliciosa conversa com o Douro na frente e o sol a aquecer-nos.

Se formos capazes de ter a energia e a paixão que ele tinha, já teremos feito muito.


Sem comentários: