segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Eu não vou votar no PCP... mas devia.



Neste blog nunca escrevi sobre partidos. Hoje faço-o e verá que se justifica.

Eu não vou votar no PCP.

Porém hoje recebi um mail do PCP que me levou a escrever este texto. O PCP envia-nos um relatório de todas as acções que tomou no que à agricultura diz respeito na última legislatura. É o único partido que o faz.

Se o meu caro leitor ou leitora falar com os responsáveis de qualquer associação sectorial, verá que a esmagadora maioria lhe diz que o PCP é o partido que mais interage com as associações em Portugal. Seja com sindicatos, associações empresariais, regionais, nacionais, a regra é sempre a mesma: o PCP é o partido que mais informação partilha.

Só aqui na CVRVV ( e presumo nas restantes regiões ) recebemos ao longo da última legislatura dezenas de mails do PCP no Parlamento e do PCP no Parlamento Europeu dando-nos informação da sua actividade quanto à agricultura, colocando-nos questões, enviando-nos documentos. Nós não pedimos nada, é inciativa do partido. E não é iniciativa oca, não é spam. Por mais de uma vez nós respondemos e o nosso parecer foi lido e incorporado nos documentos.

Hoje enviaram o relatório de tudo o que fizeram na legislatura no sector agrícola.

Não se passa uma legislatura em que os deputados do PCP no norte ou o sector agrícola não nos peça uma reunião.  Nesta legislatura, o PCP, o PS e o CDS pediram-nos reuniões.

Não é que nós não tenhamos contactos com todos os partidos, claro que temos e cultivamo-los. Porém a diferença ( e não é pouca ) é que nos restantes partidos temos de ser nós a estabelecer uma rede de contactos e esta invariavelmente tem por base o elemento pessoal, este deputado abre e responde aos mails, aquele atende sempre o telefone, o outro gosta muito do sector do vinho, etc etc. 

No PCP há uma visão estratégica da instituição que obviamente mantém uma boa base de dados e tem uma política de comunicação permanente. Esta permanência é importantíssima.

Há dias, ao ler sobre o processo manhoso de elaboração de listas, descobri que três dos deputados que mais sabem sobre a nossa região e que mais acompanharam o dossier Alvarinho não estão candidatos: Eduardo Teixeira PSD, Jorge Fão PS e Altino Bessa CDS. Enfim é a opção destes partidos. Tenho dos três a melhor avaliação, sendo indiferente de concordei ou discordei de cada um deles nesse caso em concreto. Afirmo que a região fica a perder bons deputados.

Porque diabo é que os grupos parlamentares dos restantes partidos não estabelecem procedimentos de comunicação constante e formal que permita construir dossiers, uma rede de comunicação ? Acham-se importantes, calculo. Não estaria num bom momento para mudar a forma como se faz a política, reduzindo a enorme distância que vai do eleitor até aos importantes senhores do poder?

Tudo isto me irrita precisamente pelo motivo indicado no início do texto: é que eu não sou eleitor do PCP.

Mas que dá vontade ...

2 comentários:

susete evaristo disse...

Então e porque não alterar o seu voto ? Pode ser a primeira vez mas porque não ficar com aquela sensação de estar a contribuir para a melhoria da sua região.
Quem sabe se não lhe toma o gosto
Vamos votar CDU
Eu Voto

Matos disse...

Não vote PCP!... Vote na CDU!... A coligação da foice e martelo + O girassol!...