terça-feira, 6 de outubro de 2015

Stocks, vendas e preços


No fim dos jogos há sempre quem diga que sabia do resultado desde o início. E na vindima deste ano será o mesmo, vai aparecer sempre quem diga que sempre soube que ia haver muito mais uva.

A verdade porém é que a vindima foi bem mais generosa do que muitos esperávamos e, naturalmente há que gerir tendo em conta as realidades que mudam todos os dias e não com cenários estáticos.

Não se justifica pois uma enorme apreensão que vejo em alguns colegas com uma suposta escassez e inflação no mercado de granel. Passo a explicar.

( refiro os brancos e tenho em conta médias dos últimos 4 anos ). 

A região vende anualmente algo próximo de 48 milhões de litros, a que acrescem uns 6 aproximadamente que é o que se perde sobretudo em desclassificações e um pouco também em correcções de contas,varejos, etc.

Temos pois que a nossa necessidade de abastecimento é de 54 milhões de litros ano, já fazendo a conta com tolerância. Ora este ano vamos ter 62/63 milhões de branco - pelo menos - a que acrescem 20 milhões de branco que estavam em stock à boca da vindima.

Ora face a isto, falta vinho onde ?

A vindima de 2016 não foi fácil para a região por vários motivos. E porém é uma vindima cheia de boas notícias: temos uvas fabulosas que nos vão dar grandes vinhos, remuneramos bem estas uvas, temos capacidade de resposta em stock para aumentar as vendas.

Dediquemo-nos pois ao que verdadeiramente interessa; valorizar a região e os vinhos, impulsionar a viticultura e falar para o cliente. Sobretudo falar para o cliente, pois que este será um ano em que teremos excelentes vinhos para lhe propor.


Sem comentários: