terça-feira, 8 de março de 2016

Stocks e vendas em Fevereiro

Sou sempre muito cauteloso com os mapas, sobretudo os de vendas, dos primeiros meses do ano e recomendo que o leitor os trate com o mesmo cuidado.

Referem-se a um período muito curto, ainda por cima em época baixa e por isso facilmente influenciáveis por um ou outro contrato com supermercados.

O primeiro mapa é, como habitual, o dos stocks.

Clique na imagem para aumentar

É um mapa que pode deixar a região serena. Dispomos do vinho necessário de forma equilibrada sem excessos nem escassez. O stock de tinto é baixo mas também o são as vendas. Ainda estamos no início do ano pelo que é de ter serenidade até que tenhamos uma ideia mais clara sobre o que nos trará o mercado e a previsão da próxima colheita, o que só saberemos lá para Julho.


Clique na imagem para aumentar

O mapa do branco de lote apresenta uma ligeira descida, 5%. Leio-a sem especial preocupação por estamos em Fevereiro. Ainda há muito caminho a percorrer.

Clique na imagem para aumentar

O Vinho Verde tinto é definitivamente uma ciência oculta. Perdemos um pouco vendas nos segmentos de branco mas o tinto aguenta-se. Vá-se lá perceber este vinho ímpar ! Fizemos há dias um excelente debate no Comité de Marketing da CVRVV sobre o VV tinto. É um processo que vimos fazendo de consultas à região e que a região precisa de fazer: que estratégia para o tinto ?

O ultimo quadro é o relativo aos segmentos de castas no branco.

Clique na imagem para aumentar

Este seguem a tendência do branco em geral, uma ligeira descida, talvez com um comportamento mais vivo do Loureiro que apresenta uma descida mais significativa. Temos de acompanhar ao longo do ano. Não descarto que há aqui um efeito que é o lançamento dos "Loureiro-Alvarinho" já consequência do acordo, que poderá vir a retirar algum protagonismo aos Loureiro puros. Vamos a ver. Na nossa estatística os 2 castas estão incluídos nos brancos gerais, pelo que neste momento não os identificamos.

É pois o primeiro quadro do ano. Veremos com calma como é que evolui.

Sem comentários: