quarta-feira, 12 de abril de 2017

Vinho Verde: Japão à vista !

Temos vindo a trabalhar o mercado do Japão e vários produtores associaram-se à CVRVV neste projecto. O Japão é interessante por ser um mercado de valor. O consumo per capita é baixo ( inferior a 5 litros/ano ) , embora a crescer. Porém o consumidor Japonês é muito conhecedor e procura produtos de qualidade. Isso interessa-nos. Estamos "em quantidade" em mercados como a Alemanha ou os EUA e precisamos de encontrar mercados que valorizem as castas e vinhos mais específicos.

É um mercado culturalmente muito diferente dos ocidentais e é preciso perceber os Japoneses, perceber a sua forma de trabalhar e perceber o seu tempo. Porém é um país muito organizado, onde as práticas comerciais são muito regulares e onde o respeito pelas marcas é total, algo que nem sempre se encontra na Ásia.

Clique na imagem para aumentar

O quadro acima mostra a nossa evolução recente. O mercado ainda é pequeno mas estamos claramente no caminho certo.

Esta semana, uma vez mais, 30 empresas foram com a CVRVV e com o apoio técnico da Opal a Tóquio apresentar os seus vinhos. Uma presença em várias frentes: na feira Wine and Gourmet, numa prova para especialistas e importadores e em vários eventos privados organizados por  vários produtores, que assim maximizaram o efeito desta longa viagem.

Roubadas aos próprios, aqui partilho algumas fotos desta semana de trabalho com o Vinho Verde em cheio no mercado do Japão. Fotos da Carla Cunha ( CVRVV ) e do Gonçalo Furtado ( Opal )

Curso de prova, uma participação atenta e pontual !

Produtores e clientes: momento chave.
Master Class dos Vinho Verde Young Projects:
os protagonistas lá ao fundo no centro.
O senhor da direita vai provar um vinho feito
a 10.900 Kms dali: justifica-se o ar sério !

Deixo para o fim esta foto, com alguma deselegância para com a privacidade a que todos temos direito, mas porque me orgulha particularmente.

Temos bons vinhos, é certo e estamos a fazer tudo para os melhorar a  cada dia. Mas está a aparecer na região uma nova geração de gente, seja na viticultura, na enologia e no comércio, seja nos privados ou nas cooperativas. É uma geração com forte preparação técnica, que tem o mundo aberto na cabeça, que é competitiva, que é inovadora e que dedica mais tempo a fazer ( e a fazer em equipa ) do que nos tradicional corte e cose.

Este é o nosso #dreamteam e com uma equipa destas, tenho a impressão que isto é só o começo...





Um interessante estudo sobre o mercado Japonês aqui.

E outro aqui.


Sem comentários: